Fogo na Notre Dame Bispo Schneider

Fogo na Notre Dame Bispo Schneider

Bispo Schneider

 

Bispo Schneider: Fogo Notre Dame é sinal de 'conflagração espiritual' na Igreja

 ROMA, 17 de abril de 2019 ( LifeSiteNews ) - O extenso incêndio que atingiu a Catedral de Notre Dame, em Paris, na segunda-feira, é um sinal da "conflagração espiritual" que atingiu a Igreja Católica nos últimos cinquenta anos, disse o bispo Athanasius Schneider. .

Em comentários à LifeSite na quarta-feira, o auxiliar de Astana, Cazaquistão, disse que o incêndio devastador que devastou a catedral de Paris contém uma "mensagem espiritual inconfundível". 

A destruição é um sinal “simbólico e evocativo” do “que aconteceu na vida da Igreja” nas últimas décadas, diz ele, visto que as pessoas “testemunharam uma conflagração das obras-primas espirituais mais preciosas da Igreja” - sua liturgia, fé e moral vida, especialmente entre os sacerdotes.

O escândalo de abuso sexual clerical, acrescenta, é o "clímax" dessa "conflagração espiritual de décadas". 

Catedral Notre Dame

O campanário e a torre desmoronam à medida que fumaça e chamas engolfam a Catedral de Notre-Dame, em Paris, em 15 de abril de 2019.GEOFFROY VAN DER HASSELT / AFP / Getty Images.

Em seus comentários, o bispo Schneider não tira conclusões sobre a causa do incêndio em Notre Dame, mas o coloca no contexto da série de ataques incendiários perpetrados contra as igrejas católicas no ano passado.

Elaborando a mensagem de “agitação” da tragédia, ele identifica como “incendiários espirituais” na Igreja os membros do establishment “liberal” de teólogos heterodoxos e clero que contribuíram para a crise na Igreja ou que se recusam a tratar suas causas profundas. . Muitas de suas fileiras, observa ele, agora consideram Bento XVI como um "criador de problemas" por obstruir seu "trabalho incendiário", através de seu recente ensaio. 

O bispo Schneider insiste que o incêndio em Notre Dame é um " cri de coeur  para a autêntica conversão", especialmente entre os "pastores da Igreja". 

De acordo com o auxiliar de Astana, é também um chamado a toda a Igreja para fazer penitência pela conflagração espiritual que rasgou a Igreja nos últimos cinquenta anos.  

“Penitência e reparação devem ser feitas, especialmente pela traição do comando de Deus Pai, para que toda a humanidade creia em Seu Filho Divino, o único Salvador da humanidade. Pois Deus deseja positivamente apenas uma religião única que acredita que Seu Filho Encarnado é Deus e o único Salvador ”, escreve ele, em uma clara referência à controversa declaração de Abu Dhabi de que Deus“ deseja ”uma“ diversidade de religiões ”.   

"Penitência e reparação também devem ser feitas para a traição do comando explícito de Cristo para evangelizar todas as nações, sem exceção", incluindo o povo "judeu" e "muçulmano", acrescenta.

"Deus não será indefinidamente e vergonhosamente ridicularizado por tantos pastores da Igreja hoje, através de sua traição à fé, seu servo bajulador do mundo e sua adoração neopagã das realidades temporais e terrenas", diz ele. “Também a eles são dirigidas estas palavras de Cristo: 'Eu lhes digo que, a menos que se arrependam, todos perecerão igualmente' (Lc 13: 5).”

O bispo Schneider expressa sua esperança de que o fogo de Notre Dame possa “reacender” nos pastores da Igreja um “amor e zelo” pela fé católica e um ardente desejo de evangelizar todas as pessoas.  

Ele conclui lembrando o que considera “um dos sinais mais tocantes e espiritualmente poderosos” em meio à tragédia: jovens e até crianças cantando a Ave Maria como sua amada Catedral, dedicada a Nossa Senhora, queimada diante de seus olhos. Tal oração, conclui ele, é o fundamento para reconstruir “as ruínas espirituais da vida da Igreja em nossos dias”. 

Aqui abaixo está o texto completo dos comentários do Bispo Athanasius Schneider ao LifeSite sobre o incêndio na Catedral de Notre Dame.

 

Algumas considerações sobre a conflagração da Catedral Notre Dame em Paris

A veemência do relâmpago com que o fogo engolfou a Catedral de Notre Dame em Paris deixou-o com a impressão de que um acontecimento inesperado surgira como um raio do nada. E, no entanto, visto como um fenômeno, essa tragédia ocorreu após uma série de centenas de ataques incendiários sistemáticos a vários objetos sagrados pertencentes à Igreja Católica na França no último ano. 

É também significativo que o incêndio em Notre Dame tenha ocorrido no início da Semana Santa, que é o coração do ano litúrgico para todos os católicos. Como os fatos do caso ainda são desconhecidos, não temos nenhuma evidência sobre a qual basear alegações de um complô para destruir a catedral. No entanto, a pessoa fica com um sentimento enjoativo por dentro, especialmente quando se considera a cadeia de eventos anticatólicos sistemáticos, marginalização, discriminação e ridicularização que a Fé Católica sofreu nas mãos do establishment político francês e do cenário da mídia francesa, ambos estão firmemente nas mãos das atuais forças anti-cristãs e maçônicas livres na França. 

Notre Dame não é apenas o sinal cultural e religioso mais simbólico para a Igreja Católica na França. Dado que a França tem o título de “a filha mais velha da Igreja”, sua principal catedral também tem profundo significado cultural e religioso para todo o mundo católico.

A destruição de um sinal visível de tão vasta proporção como a Catedral Notre Dame em Paris também contém uma mensagem espiritual inconfundível. O fogo de Notre Dame é sem dúvida um sinal poderoso e estimulante que Deus está dando a Sua Igreja em nossos dias. É um  cri de coeur para a autêntica conversão, em primeiro lugar entre os Pastores da Igreja. O fogo destruiu em grande parte a Notre Dame, uma obra-prima de séculos da Fé Católica. Esta é uma representação simbólica e altamente evocativa do que aconteceu na vida da Igreja nos últimos cinquenta anos, quando as pessoas testemunharam uma conflagração das obras-primas espirituais mais preciosas da Igreja, isto é, a integridade e a beleza da Fé Católica, a Liturgia católica e vida moral católica, especialmente entre os sacerdotes. 

O clímax desta conflagração espiritual de décadas manifestou-se nos escândalos de abuso sexual clerical que abalaram profundamente toda a Igreja. Infelizmente, devemos dizer que a manipulação do escândalo de abuso sexual clerical permaneceu mais ou menos ao nível do desânimo emocional. As verdadeiras raízes dessa crise não foram transparentemente divulgadas, nem, conseqüentemente, uma medicina espiritual eficaz e normas canônicas peremptórias foram aplicadas. Em um ensaio recente e detalhado, o ex-papa Bento XVI identificou uma das raízes mais importantes da crise dos abusos, a perda da verdadeira fé, a prevalência do relativismo moral e a formação heterodoxa e não espiritual dos seminaristas. incendiários espirituais na Igreja hoje. Eles agora consideram o ex-papa Bento XVI um desordeiro cujas observações contundentes obstruem seu trabalho incendiário.  

Se os pastores da Igreja não reconhecerem na conflagração de Notre Dame uma advertência divina, estarão se comportando como as pessoas na História da Salvação que não reconheceram as advertências que Deus freqüentemente lhes dava através das palavras desconfortáveis ​​e descaradas dos profetas, catástrofes naturais e vários eventos. A tragédia de Notre Dame trouxe espontaneamente à minha mente as seguintes palavras de Nosso Senhor: “Ou aqueles dezoito sobre os quais a torre de Siloé caiu e os matou, você acha que eles eram piores ofensores do que todos os outros que moravam em Jerusalém? Eu te digo, não; mas a menos que te arrependas, todos perecerão igualmente. ”(Lc 13: 4-5)

A trágica conflagração da Catedral de Notre Dame em Paris é também uma ocasião propícia para todos os membros da Igreja fazerem penitência pelos atos de traição que foram cometidos contra Cristo e Seus ensinamentos divinos na vida da Igreja nos últimos cinquenta. anos. Penitência e reparação devem ser feitas, especialmente pela traição do comando de Deus Pai, para que toda a humanidade creia em Seu Filho Divino, o único Salvador da humanidade. Pois Deus deseja positivamente apenas uma religião única que acredita que Seu Filho Encarnado é Deus e o único Salvador da humanidade. Penitência e reparação também devem ser feitas para a traição do mandamento explícito de Cristo de evangelizar todas as nações sem exceção, primeiro entre elas o povo judeu. Pois foi para eles que Cristo primeiro enviou Seus apóstolos,

Se os Pastores da Igreja se recusarem a fazer penitência pela conflagração espiritual dos últimos cinquenta anos, e pela traição do mandamento universal de Cristo de evangelizar, não devemos, então, temer que Deus possa enviar outro sinal mais chocante, como uma devastadora conflagração? ou terremoto que destruiria a Basílica de São Pedro em Roma? Deus não será indefinidamente e vergonhosamente ridicularizado por tantos Pastores da Igreja de nossos dias, através de sua traição à Fé, sua servidão bajuladora do mundo e sua adoração neopagã das realidades temporais e terrenas. Também a eles são dirigidas estas palavras de Cristo: “Eu lhes digo que se não se arrependerem, todos perecerão igualmente” (Lc 13,5).

Que o incêndio na catedral de Notre Dame, em Paris, por mais triste e deplorável que seja, reacenda - especialmente nos pastores da Igreja - o amor e o zelo pela verdadeira fé católica e pela ardente evangelização de todos os que ainda não creia em Cristo. E possam estar atentos para não marginalizar e covardemente excluir o povo judeu e muçulmano desta forma excepcional de caridade. Que o fogo em Notre Dame sirva também como um meio de inflamar nos Pastores da Igreja um espírito de verdadeiro arrependimento, para que Deus conceda a graça de uma renovação na verdadeira fé e no amor verdadeiro por Cristo, Nosso Senhor. Nosso Deus e Nosso Salvador.

Quando a Catedral de Notre Dame em Paris começou a queimar, havia um grupo de fiéis, com crianças e jovens entre eles, que se ajoelharam no chão e cantaram a Ave Maria. Este foi um dos sinais mais tocantes e espiritualmente poderosos no meio de uma grande tragédia. Que Nossa Senhora, Auxiliadora, interceda por nós, para que os Pastores da Igreja comecem com a ajuda dos fiéis leigos a reconstruir as ruínas espirituais da vida da Igreja em nossos dias. Na Igreja, como em Paris, um processo de reparação e reconstrução é um sinal de esperança.

17 de abril de 2019

+ Athanasius Schneider, Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Santa Maria em Astana 

 

Fonte: https://www.lifesitenews.com/news